Relembrando uma outra era...

No final de semana passado publiquei no Twitter algumas fotos e vídeos saudosistas. Mostravam meu primeiro Palm, um IIIx que comprei por pouco menos de US$300 em julho de 2001.

E para os que acham os cabos da Apple caros, aqui vai uma curiosidade. Encontrei o recibo do cabo de sincronismo extra que comprei no mesmo ano por US$20!

Outro item que me deu mobilidade em uma época em que notebooks eram caros demais foi o Palm Modem que funcionava muito bem com o cliente de e-mail que acompanhava o sistema operacional.

Eram duas as opções para envio das mensagens: sincronismo com o computador ou conexão com uma linha discada via modem.

Usei muito os dois métodos nas minhas viagens e também no meu dia a dia. Pela manhã eu sincronizava o Palm e todos os novos e-mails que estavam no computador passavam para ele.

Respondia tudo, escrevia novas mensagens e no próximo sincronismo (em casa ou no trabalho) tudo era enviado. O mesmo acontecia com novos contatos, compromissos etc. Tudo era trocado entre os dois aparelhos num lindo balé chamado HotSync.

Um aplicativo em especial, o maravilhoso AvantGo me acompanhava também diariamente. Ele funcionava como um cache de websites formatados especialmente para a tela do Palm. O HotSync matinal levava sites completos ou atualizava o conteúdo que já estava no dispositivo. Aquilo era mágico!

Meu site da época, o PalmBR.com, tinha uma versão para AvantGo e todo domingo à noite eu preparava conteúdo para o sincronismo dos meus leitores na segunda-feira. O AvantGo era tão excepcional que me aproximei da empresa e cheguei a representá-los no Brasil via subsidiária latino-americana.

O IIIx sempre foi um guerreiro e me acompanhou durante muito tempo, mas eventualmente foi substituído. Continuei ligado a esses dispositivos até que a fusão entre telefone e palmtop se concretizou com Treo 180. Nunca tive um desses, mas cheguei ver vários deles.

Meu primeiro híbrido foi um Tungsten W que, confesso, era mais parecido com uma versão beta do que um dia viria a ser o incrível Palm Centro.

O Centro morreu junto com a Palm. A empresa foi destruída por uma série de confusas decisões gerenciais e finalmente deixou de existir quando adquirida pela HP. Para os interessados em um bom livro a respeito da Palm, recomendo fortemente o Piloting Palm. É um excelente trabalho!

O centro foi uma ferramenta incrível, mas o crescimento da RIM e seu BlackBerry e a criação do iPhone o tornaram obsoleto. Resisti bravamente, mas acabei cedendo depois que vi portados para o iOS os diversos aplicativos que me ajudavam no dia a dia.

Em 2009 um iPhone 3G finalmente entrou na minha vida e enterrou o Palm OS em uma gaveta. Mas confesso que até hoje sinto falta de alguns recursos e do estilo simples daquele sistema operacional incrível.

Obrigado por tudo Palm!