Por que raspar o código de segurança dos seus cartões de crédito?

Descobri isso há alguns anos quando viajava muito a trabalho. Os hotéis eram normalmente pré-pagos pela empresa, mas era muito comum na recepção me pedirem para fazer uma cópia do cartão para despesas extras. Como na mesma época passei a receber constantes ligações do banco a respeito de fraudes, conectei as duas coisas. Nunca tive prejuízos financeiros, mas o banco substituía meu cartão com bastante frequência.

Cansado do inconveniente resolvi seguir a sugestão de um amigo e raspei o código de segurança. Desse dia em diante minha vida mudou! Nunca mais o banco precisou trocar meu cartão e só posso imaginar que alguém andava anotando meus dados durante as viagens. Inclusive, alguns acontecimentos posteriores elevaram minhas suspeitas.

Em certa ocasião uma funcionaria do balcão do hotel insistiu na necessidade do código. Dizia ela que precisava dele anotado em virtude de um procedimento, mesmo depois de ter gerado um bloqueio com autorização de débito (digitei pessoalmente o código na máquina). Com a insistência, pedi para chamar o gerente e misteriosamente o procedimento desapareceu. Situação similar ocorreu durante um aluguel de carro e autorização de débito para compra de seguro de viagem.

Veja, não estou acusando ninguém, até porque nunca pude comprovar nada. O que sei é que depois que tomei essa medida simples, consegui, pela primeira vez na vida, ficar com um mesmo cartão durante 4 anos seguidos e ter ele trocado apenas em virtude do vencimento e não por situações de fraude.

Seja como for, o fato é que ter uma cópia do seu cartão junto com o código de segurança é o mesmo que ter o próprio cartão para fazer compras online. Pense nisso!