O Pebble é exatamente o que eu esperava

Eu sei, eu sei, o iWatch da Apple será provavelmente anunciado na próxima terça-feira, dia 9 de setembro (2014). Mesmo assim comprei um Pebble. Por que?

Em primeiro lugar porque raramente compro produtos assim que são lançados. Além disso, acho muito improvável que o preço do suposto iWatch esteja na faixa do Pebble (tradicional), ou seja, US$150. Mas há algumas razões práticas sobre as quais discorrerei abaixo.

Água

Pode ser um item irrelevante para muitos, mas sempre preferi os relógios a prova d'água. O Pebble suporta 5 ATM e passou no teste do chuveiro (com vapor) várias vezes. Em realidade, sempre vai para o banho comigo depois de uma corrida.

Notificações

Hoje em dia recebemos inúmeras notificações e muitas delas não exigem nenhum tipo de internação. Por exemplo, ao acertar algo com um amigo ou cliente, um "OK" vindo da outra ponta encerra a conversa.

Alertas de status que recebo da conta da Evernote via Twitter são também outro bom exemplo de informação que não exige interatividade.

Depois de mais de uma semana de uso, noto claramente que grande parte das notificações não precisam de nenhum tipo de interação de minha parte. Um amigo até comentou que notou uma melhora na duração da bateria do iPhone depois que começou a usar o Pebble, mas de minha parte não percebi diferença. O que me agrada é mesmo não ter que tirar o telefone do bolso o tempo todo.

Música, Podcasts, Rádio etc.

Há no relógio um aplicativo nativo para controlar músicas, podcasts, rádio etc. Enfim, qualquer coisa que esteja tocando no iPhone. Se você é do tipo que usa o fone da própria Apple, essa função é inútil, mas...

Nas minhas corridas, por exemplo, uso fones especiais que ficam presos na orelha. Neles não há nenhum tipo de controle e o relógio tem me ajudado muito. O mesmo vale para os fones de ouvido especiais. Esses maiores com qualidade superior. Não há nenhum tipo de controle na maioria deles.

Chamadas

A mesma lógica serve para as chamadas. Ando com o fone no ouvido e o telefone no bolso. Toda vez que alguém me ligava eu tinha que tirar o telefone do bolso para decidir se atenderia ou não. No relógio posso atender ou rejeitar a chamada. Perfeito também para as corridas. Corro com o telefone na braçadeira e precisava esperar a chamada ir para caixa postal para voltar a ouvir a música ou podcast. Agora é só rejeitar a chamada no relógio. Além disso, dependendo da pessoa que liga, pode ser que seja importante ou urgente parar a corrida e atender.

Outra vantagem é não ter que estar com o telefone por parto o tempo todo. Mesmo em distâncias razoáveis dentro de casa ou no escritório o sistema Bluetooth mantém a conexão e é possível ver alguém ligando e ir em direção do telefone para atender a ligação.

Aplicativos

Existem dois tipos, os chamados "companion" e os tradicionais. Um bom exemplo de "companion" é o do RunKeeper. Ele lê as informações que estão no App no telefone e as reproduz no relógio. O outro grupo é independente do celular. Usa apenas a rede de dados ou o GPS para realizar operações no próprio Pebble. O problema neste segundo grupo é que ao deixar a tela do App, ele para de funcionar. Nos "companion", como a informação vem 100% do telefone, você pode sair e voltar quando quiser.

Há ainda um grupo especial, os Watchfaces, ou seja, diferentes mostradores. Há todo tipo de possibilidade. Dos ponteiros em formato de braços do Mikey, aos sofisticados repletos de informação. Experimentei vários e acabei ficando com um que mostra horas de até três partes do mundo mais a cidade em que está.

Por conta da minha relação com a Evernote, interajo com pessoas na Califórnia com certa frequência e tenho também alguns assuntos na costa leste dos EUA. Durante minhas viagens, mesmo a passeio, estou sempre trabalhando ou acompanhando assuntos no Brasil e ajuda muito ter vários fusos no pulso.

Alguns Watchfaces são verdadeiros aplicativos e vale a pena ter um ou mais desses porque é muito fácil alternar entre eles. Basta usar os botões para cima e para baixo. Tenho, por exemplo,  um que apenas mostra o calendário completo do mês. É perfeito para combinar novas reuniões, ver que dia da semana será determinada data e assim por diante.

ePaper

A tela do Pebble é idêntica aos leitores de eBooks estilo ePaper. Ou seja, o sol pode estar diretamente em cima dele e mesmo assim será possível ver com tranquilidade o mostrador. Outra vantagem desse tipo de tela é a duração da bateria. Estou usando há apenas uma semana, mas é nítida a sua super-duração.

Luz

Basta um chacoalhar um pouco mais intenso do pulso e a luz acende. É genial, mas há o problema que mencionei no artigo RunKeeper no Pebble. Na corrida a luz acende o tempo todo. Porém, outro dia corri com a luz desativada e por conta do ePaper consegui enxergar bem a noite o mostrador apenas com as luzes dos postes do parque.

Memória

O Pebble lida com a informação de memória disponível de forma diferente do habitual. Funciona assim: você tem direito a 8 aplicativos ou Watchfaces no total. Porém, no telefone há uma espécie de espaço para armazenamento de reserva. Se você já esgotou as 8 posições, é possível tirar um dos Apps do telefone e guardar ele neste espaço (Locker) e instar outro no lugar dele. Parece estranho e complicado, mas não é.

Posso afirmar com tranquilidade que estou adorando o relógio. Pesquisei muito antes de decidir comprar e não me arrependi. Tem me atendido muito bem nos itens que descrevi acima e em outros que mencionarei em artigo específico, como, por exemplo, o App Evernote para Pebble.