O Yoga Book é o tipo de produto que eu esperava da Apple

Quando Steve Jobs apresentou o primeiro iPhone, justificou a inexistência de um teclado fisico dizendo que o espaço em tela era precioso demais para ser usado com algo que tem apenas uma finalidade. Foi um choque, mas depois de muitas criticas, inclusive minhas, surgiu um mar de telefones e tablets com teclados virtuais. O mercado se transformou por completo.

A mudança radical trouxe uma tela multiuso que parecia ter vindo do futuro e foi um momento de importante ruptura com o passado, ou seja, inovação. Aquele momento foi radical, mas a Apple continuou sua trajetória surpreendendo o mundo com ideias ora incríveis, ora um tanto estranhas.

Em termos de especificações, o Yoga Book não é nenhuma super-maquina, mas o conceito e seu potencial de uso têm chamado a atenção de muita gente. Definitivamente não é impactante como o primeiro iPhone, mas confesso que entre ele e os lançamentos da Apple no dia 7 de setembro (2016), fico com a Lenovo.

O Yoga Book

Seguindo a tendência dos primos mais velhos, a tela roda 360 graus, fazendo dele um híbrido entre computador e tablet com teclado. Mas as semelhanças terminam aqui.

Por mais contraditório que possa parecer, não há teclas no teclado. O que existe são duas pranchas, uma fazendo papel de tela e outra que me remeteu imediatamente ao ano de lançamento do iPhone. Uma placa completamente lisa acende mostrando as teclas quando você precisa digitar algo. E convenhamos, no mundo de hoje, teclar é apenas uma entre as diversas atividades que executamos em um tablet. O outro recurso desse incrível teclado sem teclas é desenhar.

Uma caneta especial, que, diga-se de passagem, acompanha o produto, te permitirá desenhar na área do teclado e ver o resultado aparecendo na tela. Mas se você prefere papel, não há problema. Coloque uma folha sobre o teclado e rabisque a vontade usando a caneta com o refil de tinta. Aliás, é um refil padrão de mercado. E não se preocupe, você também pode usar o seu próprio papel. Em realidade, seus traços serão detectados em blocos de até 8 milímetros de espessura.

Voltemos ao teclado. O "conceito yoga” não é novo. Em realidade existem inúmeros computadores no mercado que já fazem isso. Mas a maioria deles não é nada elegante. Quando se transformam em tablets, o teclado fica estranhamente virado para trás. No Yoga Book o que vemos é uma placa lisa, que somada à tela chega a apenas 9,6 milímetros de espessura com um peso total de 690g.

Digitar em um teclado virtual é algo que muita gente não gosta de fazer, mas para tornar a experiência um pouco melhor, a placa vibra respondendo seu toque como ocorre no trackpad do novo MacBook e botão Home do iPhone 7/Plus. Além disso, por ser virtual, a Lenovo afirma que as teclas aprendem com nossos erros. Ou seja, se tocamos um pouco fora do espaço, o sistema começa a se adaptar à nossa forma de digitar e corrige os erros como já acontece ao digitarmos na tela dos atuais telefones e tablets.

O equipamento estará disponível em duas versões, uma que virá com Android Marshmallow e outra com Windows 10. Já as configurações técnicas são idênticas com duração da bateria variando de sistema para sistema. São 13h no Windows e 15h no Android. Ele vem equipado com um processador Intel Atom x5-Z8550, 4 GB de RAM, 64 GB de ROM, slot para cartão microSD com suporte a até 128 GB e conexões 3G, 4G e WiFi compatível com redes 5 GHz. Mas, apesar do jeitão de computador, ele é pequeno. São 256,6 mm de largura, 170,8 mm de altura e, como já dito, espessura de 9,6 mm.

Obviamente nem tudo são flores. Em primeiro lugar não entendi porque não utilizaram uma porta USB tipo-C. A especificação fala em micro USB. Também não gostei do fato de ter que trocar a "ponta stylus" por um refil de tinta para escrever em papel.

+ Entenda o que é USB 3.1 Tipo-C

Mas calma, segure sua empalação, o produto ainda não está a venda. Além disso, penso que o Yoga Book será um produto para um público muito específico. Por exemplo, não acredito que será útil para mim porque raramente desenho e todas as minhas anotações são feitas digitando. Mas ele me pareceu uma peça de tecnologia tão incrível que está sendo difícil resistir. E honestamente não me lembro de qual foi a última vez que algo anunciado pela Apple me causou tanta tentação.

Nota: Não experimentei o produto. O texto foi escrito com base em artigos e vídeos publicados por terceiros e informações oficiais disponíveis no site da Lenovo. As fotos utilizadas no artigo foram recortadas de material de divulgação disponível no site da Lenovo.