Será que o sucesso do Apple Pay depende de parcerias com empresas como a Square?

Nos EUA é muito comum ver iPads dentro de suportes brancos emulando caixas registradoras no comércio. Estão por toda parte, de quiosques a grande lojas e hotéis. A moldura plástica, junto com um aplicativo, transforma o iPad num verdadeiro sistema de cobrança e controle, mas a Square, responsável pelo produto, fornece também outros equipamentos. O modelo mais usado é o que pode ser conectado ao telefone via porta do fone de ouvido e é similar ao que a Pagseguro imitou e usa no Brasil. Enfim, o que importa é que são muito populares.

Não conheço as condições para o comerciante, mas devem ser boas porque vejo o equipamento da Square por toda parte. Já o Apple Pay, que adoro pela simplicidade, é ainda uma raridade. Na verdade, mesmo nos locais onde é aceito, há às vezes certa confusão e dúvidas. 

Square e Apple Pay

Não sei quem procurou quem para a parceria, mas a novidade é que ainda em 2015 o equipamento Square ganhará um upgrade e passará a ser compatível com o Apple Pay. Um pequeno quadrado, que, aliás, também funcionará para os cartões com chip, conterá um leitor de NFC para registrar pagamentos via Apple Pay.

Na WWDC 2015 foi dito que o Apple Pay seria expandido para o Reino Unido e que seria aceito no sistema de transporte público. Confesso que fiquei mais impressionado com a parte do transporte público. Usar o NFC dos telefones me parece uma evolução natural para esse tipo de atividade. Afinal, os leitores estão por toda parte em metrôs, ônibus etc.

Junte-se a isso as novidades divulgadas pela Google na I/O 2015 e vejo, finalmente, um futuro muito promissor para esse novo meio de pagamento. No final das contas, a franquia De volta para o futuro parece ter acertado as previsões mais uma vez, a digital será a chave.

Quanto a chegar ao Brasil, minha opinião é de que ainda vai demorar um bom tempo. Não acredito em má vontade da Apple, afinal ela também têm receita com o Apple Pay. O que não aparece para o público é todo um sistema que está claramente integrado para fazer com que o pagamento via telefone funcione. No artigo Apple Day falo um pouco sobre isso.

E mesmo nos EUA, com tantos estabelecimentos já listados no site da empresa, o serviços ainda é responsável por um percentual muito baixo das transações. Portanto, vejo com muito bons olhos a parceira com a Square. Certamente vai expor a novidade para um número muito maior de consumidores. E só posso acreditar que no futuro também haverá algum tipo de compatibilidade com o Android e o sistema de pagamentos da Google. E, finalmente, depois de ter se tornado um meio popular nos EUA, Europa e Ásia, deve chegar ao Brasil.

Assine o newsletter semanal e mantenha-se atualizado.