Calendários 2018 para o Evernote | Tutorial Evernote.

Demorou um pouco mais que os de 2017, mas finalmente saíram os calendários 2018 da Evernote. Se você estava ansiosamente esperando, chegou o momento de baixar e usar. Mas se você não têm idéia do que são os calendários da Evernote, aproveite esta videoaula para descobrir.

Não me recordo quando foi que esta prática começou, mas a Evernote vem disponibilizando estes calendários há alguns anos. Porém, é importante deixar claro que eles não têm nenhum tipo de integração dinâmica com os calendários que usamos nos nossos telefones ou computadores. Os calendários da Evernote são templates em formato de tabelas com campos livres para que você inclua os compromissos e anotações manualmente.

Para pegar seu calendário, basta ir até o site da Evernote e escolher uma das opções: Ano, Mês, Semana ou Dia. Ou todas elas, é claro. Os calendários normalmente são produzidos em tons de verde e os de 2018 não figuram a regra, mas agora existe uma outra opção de cor. Para baixar o verde escolha a opção "Green". Mas se você prefere uma outra cor, escolha "Colorful" (mais detalhes na videoaula). Na nova janela você verá a opção "Salvar no Evernote". Clique e o calendário será salvo como uma nova nota no seu Evernote.

Um detalhes importante. As informações estão em inglês, mas há várias partes, como os dias da semana, em formato de texto puro que você pode editar facilmente. E os calendários não são os únicos templates disponíveis. Existem diversos outros que você pode copiar e usar livremente

Mas se estes calendários são apenas templates que não se integram às agendas dos nossos telefones e computador, qual sua utilidade? Bom, eu não uso nenhum tipo de template, mas existem várias possibilidades de usos. Por exemplo, se você quer construir um Bullet Journal digital, aliás, já gravei uma aula sobre este tema, ou podem servir também para acompanhamento de conteúdo em sala de aula como sugeriu um professor que participante do nosso grupo de discussão, que aliás, é uma fonte inesgotável de ajuda e compartilhamento de boas práticas. Para participar, visite http://vladcampos.com/grupo.

Gostou desta dica, por favor, compartilhe o vídeo com aquele seus amigos que podem estar interessados no assunto. E se é seu primeiro vídeo, lembre-se de assinar o canal porque publico dicas como esta várias vezes por semana.

Migração para os serviços Google | Drive, Fotos, Gmail, Docs, Music etc.

Desde 2015 venho trabalhando na migração de praticamente todos os serviços online que utilizo para os similares no Google. Atualmente mantenho minhas fotos, músicas, pacote "office", arquivos em nuvem, backup e outros nos respectivos serviços Google.

Como estou sempre compartilhando esta ou aquela experiência, recebo constantemente perguntas relacionadas ao processo de migração e como utilizo cada um dos serviços. Portanto, resolvi gravar uma série de videoaulas específicas explicando como migrar, quais as vantagens e desvantagens e como explorar cada um dos aplicativos online e seus recursos.

Dois acontecimentos me estimularam a migrar. Um acidente com meu iPhone há bastante tempo, antes mesmo de 2015, e a bagunça que a Apple fez com as minhas fotos.

Quando deixei o telefone cair na água e precisei comprar um Android temporariamente, percebi o quanto estava vulnerável. Perdi por alguns dias o acesso aos contatos, email, calendário etc. porque usava os serviços proprietários da Apple e não foi possível configurar nenhum deles no aparelho da concorrência.

Para evitar problemas similares no futuro resolvi migrar parcialmente para o Google. Passei a usar o Gmail, Calendário e Contatos no lugar dos similares da Apple.

A confusão com o serviço Photos da Apple foi uma novela que me fez inclusive perder algumas fotos. Eles haviam lançado o sincronismo automático com o serviço iCloud, mas, apensar de toda atenção dada pelo suporte, nunca consegui resolver por completo o problema de sincronismo que ocorria na minha conta.

Por algum tempo tudo funcionava bem, mas eventualmente uma ou outra foto desaparecia ou do telefone ou da nuvem. Como o Google Photos estava sendo lançado na mesma época, resolvi experimentar e não me arrependo.

O próximo passo foi migrar para o G Suite e adotar o "pacote office" do Google. Não foi tão simples, mas nada excessivamente complicado. Comecei convertendo os documentos aos poucos e depois passei a criar os novos diretamente no Google. Uma vantagem que vejo no uso do "office do Google" é a perfeita integração com formulários de sites, Google Forms, Zapier e outros serviços.

Com armazenamento de 1TB no Google Drive, levei também minha biblioteca de músicas para o serviço Google Music. O armazenamento até um determinado limite de fotos é gratuito e posso ouvir as músicas em qualquer lugar. Basta instalar o App ou visitar http://music.google.com

E o navegador Chrome proporciona uma enorme conveniência. Basta realizar o login com usuário e senha do Google, seja no próprio computador, no computador de um colega, biblioteca ou café, e temos acesso a todos esses serviços e nosso histórico de navegação, bookmarks e muito mais. E obviamente o mesmo raciocínio vale para o Chromebook.

Todos estes temas e outros serão tratados em detalhes nas próximas videoaulas. Portanto, se o tema te interessa, assine o Canal no YouTube para não perder nenhuma novidade. E lembre-se de clicar no sino ao lado do botão assinar.

Gostou? Compartilhe com os amigos.


Mapas do Google no Evernote via MapClipper | Evernote para Viagens.

Estamos nos aproximando do final do ano, das férias e viagens para passar Natal e Ano Novo com a família ou amigos. O Evernote pode ser seu aliado também nesta época do ano. Por exemplo, você pode pesquisar informasse e criar os roteiros para sua próxima viagem usando o Web Clipper e outros recursos do aplicativo.

Mas não podemos esquecer dos serviços de terceiros que também são muito bem-vindos para facilitar as cosias. Um bom exemplo é o MapClipper, que captura partes de mapas do Google Maps e leva para dentro do Evernote junto com um link para o mapa original.

Já havia compartilhado algumas dicas semelhantes a esta no passado, mas o MapClipper definitivamente facilita bastante o processo. Basta realizar uma busca, ajustar o mapa na posição correta e clicar no botão para copiar a informação para dentro do Evernote. É possível criar uma nova nota para abrigar o mapa ou ele pode ser incluído em uma das notas nas quais você estava trabalhando.

Porém, para que o MapClipper consiga mostrar esta relação e incluir o mapa em uma de suas notas existentes, ele precisa ter acesso a todo conteúdo do seu Evernote. Portanto, sugiro que assista as videoaulas relacionados a segurança da informação no Evernote.

Nas minhas pesquisas, percebi que o MapClipper já exista desde 2014, mas só o descobri recentemente e achei interessante compartilhar a descoberta. E você, já conhecia o MapClipper? Gostou? Por favor, deixe sua opinião e compartilhe o vídeo com os amigos.